Buscar
  • Dr Thiago Marra

Mitos e Verdades sobre o BOTOX!


Procedimento queridinho de celebridades e influenciadores digitais ao redor do mundo, o Botox, ou toxina botulínica, como é chamado profissionalmente, é uma substância utilizada em um dos procedimentos estéticos mais procurados atualmente. Sua ação impede que aconteçam contrações musculares temporárias no local em que é aplicado, ajudando a prevenir o aparecimento de marcas de expressão – as famosas e indesejadas rugas faciais. Seus benefícios não são somente estéticos, apresentando ampla função medicinal, podendo ser utilizado por pessoas com hiperidrose – doença causada pelo suor excessivo de alguma região -, salivação descontrolada, bruxismo e até para diminuir, em alguns casos, tremores causados pela doença de Parkinson e espasmos faciais em pacientes que sofreram AVC (Acidente Vascular Cerebral).

“Apesar de muitos acharem que o procedimento paralisa a face, fazendo com que os adeptos percam a expressão facial, a toxina botulínica é utilizada, justamente, para ajudar pessoas que são muito expressivas a evitarem o aparecimento de novas marcas de expressão, causadas pelo movimento excessivo”, explica Dr. Thiago Marra, médico e cirurgião plástico renomado na área que já operou diferentes nomes da internet e artistas renomados, como Luisa Marilac (@luisamarilacc), Victor Nogueira (@euvictornogueira), Robson Calabianqui (@fuinhar), Jaquelline (@jaquelline), Thiago Drudi (@thiagodrudi) e Halessia (@halessia). “Além, é claro, dos casos clínicos, sendo um avanço na medicina ao facilitar e melhorar a vida de muitos pacientes”, complementa.

Apesar do tratamento não ser novidade no mercado, curiosidades e equívocos ainda aparecem na opinião popular. Pensando nisso e em ajudar os interessados a escolherem o procedimento estético certo para o que desejam, o especialista listou quatro mitos e verdades sobre o botox. Confira, abaixo, quais são eles:

1. Botox, na verdade, é o nome de uma marca VERDADE. Botox foi o primeiro produto que contém a toxina botulínica a ser comercializado no Brasil. A marca se tornou de conhecimento popular e, assim como diversos outros produtos do mercado, é um registro e referência quando se fala do procedimento. “Poucos sabem também que é uma substância produzida a partir de uma bactéria que dá nome ao Botox: a Clostridium Botulinum”, conta Thiago.

2. A toxina botulínica é utilizada para preenchimento labial MITO. Apesar do que muitos pensam, o botox não é utilizado para preenchimento de nenhuma parte do rosto ou do corpo. “A substância utilizada para tal resultado é o ácido hialurônico, que é muito confundido com a toxina botulínica, mas que tem como principal função preencher regiões desejadas, enquanto o botox paralisa alguns músculos faciais, para evitar o aparecimento de rugas”, esclarece o profissional.

3. Qualquer pessoa pode realizar o procedimento estético MITO. Existem poucas contraindicações para aplicação do botox, entretanto, ainda há exceções. “Uma delas é para pessoas que possuem alergia à substância, mas, o botox também é contraindicado para pessoas grávidas, com infecção no local da aplicação e portadores de doenças autoimunes”, salienta.

4. O botox pode não agir em rugas permanentes VERDADE. A substância é profilática, ou seja, previne o aparecimento de rugas, retardando o surgimento das linhas de expressões faciais, ao paralisar o músculo que realiza o movimento repetitivo que causa essas linhas e marcas incômodas. “Sendo assim, é um tratamento voltado para prevenção e não como remediação, tendo duração de cinco a seis meses, quando a substância deve ser reaplicada na região. Por fim, quanto mais cedo feito, melhor o resultado e menos rugas a pessoa terá no futuro”, finaliza Marra.

Para popularizar o tratamento estético, na próxima terça-feira (12), o cirurgião plástico que conta com mais de 10 anos de carreira na medicina, realiza o “Botox Day”, evento especial voltado para explicação, apresentação e aplicação da toxina botulínica com preços acessíveis, no intuito de democratizar procedimentos estéticos para todos os públicos. “Sempre fui favorável à cirurgias e tratamentos estéticos mais acessíveis para os pacientes. Essa não é uma postura vista com bons olhos por muitas pessoas, inclusive pelos colegas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, que defendem que o procedimento precisa ser caro e voltado para a classe AA+. Porém, eu acredito que todos merecem se sentir bem consigo mesmos e este evento vem, justamente, para desmistificar isso e tirar dúvidas sobre o procedimento”, explica.



63 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo